Vinícolas e vinhos do Vale do Loire 2


O Vale do Loire, é sem dúvida, uma das regiões mais bonitas para se visitar na França. Distante apenas 200 km de Paris, o Loire tem mais de 300 chateaux (ou castelos), é patrimônio da Unesco desde 2000 e faz vinhos de altíssima qualidade.

Eu estava justamente estudando sobre o Vale do Loire há umas duas semanas e postando fotos dos vinhos, quando a Hèlene, uma francesa que já morou no Brasil, me escreveu um email. Ela e o marido organizam passeios de vinho no Loire, e em outras regiões da França. Achei bem bacana.

noizay

Chateau de Noizay: hotel e restaurante no Vale do Loire. Credito da foto: relaischateaux.com

O Loire pode ser visitado em um dia, saindo de Paris, mas o ideal é aproveitar a viagem e ficar alguns dias por lá. Há vários Chateaux que oferecem hospedagem 5*, no site do Relais & Chateaux há várias opções, como o Chateau de Noizay (foto acima) e a Domaine des Haut de Loire, com tarifas a partir de EURO 250.

Mas e os vinhos? Bom, o Loire é dividido em 4 partes, em razão do solo, do clima, das uvas plantadas e do tipo de vinho produzido. Da esquerda à direita, as regiões são: Nantais, Anjou-Saumur, Touraine e Vinhedos Centrais (veja mapa abaixo).

1) Nantais: a região fica bem próxima ao Atlântico e costuma ser bem úmida. O vinho mais famoso é o Muscadet Sevrè et Maine, um vinho branco feito com a uva Melon de Bourgogne. É um vinho neutro, mas a forma como ele é tratado na vinícola, que lhe dá um caráter especial. Ele fica em contato com as borras, em um processo chamado sur lie. Em razão deste processo, o vinho ganha mais corpo, mais textura e mais sabores também. Este vinho, que pode ter um final um pouco salgado, é ótimo com frutos do mar, especialmente ostras.

Vinhedos e castelos em Saumur, no Vale do Loire.

Vinhedos e castelos em Saumur, no Vale do Loire.

2) Anjou-Saumur: É o coração do Loire. Os vinhedos ficam plantados em encostas bem íngremes e a região é famosa pelos vinhos brancos, tintos, rosés, vinhos doces e espumantes. A uva branca aqui é Chenin Blanc, uma uva de alta acidez, que em Côteaux du Layon, Quarts de Chaume e Bonnezeaux, faz vinhos doces, de vida longuíssima, comparáveis aos melhores Beerenauslese alemães. Saumur-Champigny faz tintos da uva Cabernet Franc, oferencendo um vinho de médio corpo, de acidez refrescante e com aromas ricos. Rosé de Loire, é um vinho seco, que pode ter uvas como Cabernet Franc, Grolleau e Gamay.

3) Touraine: uma região de vinhos tintos, brancos e espumantes, principalmente em Vouvray, que faz vinhos de altíssima qualidade com a uva Chenin Blanc. Os solos em Vouvray são de calcário, ricos em fósseis marinhos (parecido com Champagne), o que dá aos vinhos complexidade e caráter. Chinon, Bourgueil e Saint-Nicholas de Bourgueil são áreas de vinhos tintos, feitos com a uva Cabernet Franc. Estes vinhos podem ser leves e frutados ou vinhos encorpados e muito elegantes.

crédito: http://jamesonfink.com

crédito: http://jamesonfink.com

4) Vinhedos Centrais: chegando à última região e distante quase 300km da costa, o clima aqui é continental e os invernos são muito rigorosos. Esta região é mais próxima da Borgonha que de Nantais, e por isso divide muitas características como os solos de giz em Sancerre, de sílex em Pouilly Fumé ou ainda solos kimmeridgianos (como em Chablis) em Reuilly. Sauvignon Blanc é a uva dominante aqui, e os vinhos tem um caráter defumado. Há outros brancos também como Pinot Gris e produção de vinhos tintos, principalmente da uva Pinot Noir nas regiões de Menetou-Salon, Reuilly e Quincy.

Agora que você conhece os vinhos, vale a pena ir conhecer a região.

Aqui os contatos da operadora de turismo da Helène:

Bleu Vins
Hélène LORIER
Tel: +33 (0) 241 446 297
Mobile : +33 (0) 782 441 778
helene@bleuvins.com
www.bleuvins.com
www.bleuvins.fr

Saúde!

 

Ale Esteves

Comentários

comments


Leave a Reply

2 thoughts on “Vinícolas e vinhos do Vale do Loire

    • Ale Esteves Post author

      Obrigada Sofia, vinho é um mundo muito interessante porque mistura história e geografia o tempo todo. bjs e obrigada pela visita! Ale Esteves