Ventolera Pinot Noir: um chileno para a #CBE


Vale de San Antonio, região de Aconcagua, que inclui a zona de Leyda. As uvas de clima fresco Sauvignon Blanc e Pinot Noir reinam aqui.

Este mês o tema da Confraria Brasileira de Enoblogs (CBE) foi escolhido pelo Tiago Bulla, do blog Universo dos Vinhos. Ele sugeriu: “Pinot Noir Chileno, sem limite de preço”. Aproveitei um belo Pinot Noir que provei no sábado na aula do WSET, para comentar sobre ele.

O Chile é o 9º maior produtor mundial de vinhos (dados de 2010), e exporta 60% de toda sua produção. É um país de clima mediterrânico, mas que nos 900 km de costa, apresenta grandes diferenças de altitude, temperatura e microclimas.

As uvas bordalesas (Cabernet Sauvignon principalmente) sempre se deram bem no Chile, sendo a região de Maipo Andes a expressão máxima desta uva, muitos comparando-a à Pauillac, região francesa de Bordeaux.

Tudo se planta no Chile, de Syrah a Carmenére até a quase extinta uva País, e ultimamente, as regiões mais frias como o Valle de Leyda tem dado bons exemplos de vinhos feitos com uvas de climas frescos como Sauvignon Blanc e Pinot Noir. Provei o Ventolera Pinot Noir, feito pela Viña Litoral, uma das pioneiras dessa zona.

Ventolera Pinot Noir: Chile em boa forma.

De cor rubi, límpido e de intensidade média, o vinho tinha boa intensidade aromática com notas de couro, madeira, especiarias, fruta vermelha e leve toque terroso no nariz. Na boca apresentava uma acidez correta, taninos médios e um final relativamente longo.

Um vinho muito bom, na minha opinião, bem equilibrado e agradável para beber agora, e com potencial de guarda por mais alguns anos.

Importado pela Casa do Porto, custa R$ 149,00. Saúde!!

Comentários

comments

Leave a Reply