Rioja imperdível: vinho branco leve ou tinto Crianza. 2


Eu e Hugo Urquiza, representante da Carlos Serres, brindando com um Viura.

Eu e Hugo Urquiza, representante da Carlos Serres, brindando com um Viura.

Estive na segunda-feira no EAT Empório, em almoço organizado pela importadora La Pastina. Na ocasião foi apresentado o produtor espanhol Carlos Serres, da zona de Rioja Alta.

Depois do Priorato e de Ribera del Duero, estava na hora de falar sobre Rioja mesmo. Rioja fica no norte da Espanha e dista 327 km de Madrid e apenas 95 km de Bilbao. A região é divida em Rioja Alta (mais fresca, influência dos ventos do Atlântico), Rioja Alavesa (província de Alava, país Basco) e Rioja Baja (mais quente, influência Mediterrâneo).

Hotel Marques de Riscal em La Rioja, Espanha. Desenhado por Frank O. Gehry.

Hotel Marques de Riscal em La Rioja, Espanha. Desenhado por Frank O. Gehry.

La Rioja ainda é a maior região produtora de vinho da Espanha, com a uva Tempranillo sendo a mais plantada e o diferencial de envelhecer seus vinhos em carvalho francês desde o século XIX. Hotéis de vinho luxuosos e vinícolas moderníssimas fazem parte do cenário de Rioja.

Vamos aos vinhos da Bodegas Carlos Serres (região Rioja Alta) que provei:

 

1-IMG_3072

Carlos Serres Crianza 2008

1) Serres Viura 2012: concebido para ser um vinho jovem, é feito com a uva branca Viura (conhecida também como Macabeo) e não passa por madeira. Bons aromas de maçã e algo cítrico, fresco, leve, fácil de tomar e fácil de agradar. Vai bem com saladas, peixes e carnes leves. R$ 35,90, importado pela La Pastina.

2) Carlos Serres Crianza 2008: feito com 85% de Tempranillo e 15% de Garnacha, passa 14 meses em carvalho americano e francês de 2º e 3º uso. Bastante fruta no nariz, madeira integrada e especiarias. Ligeiramente complexo e agradável, belo custo benefício para acompanhar carnes e massas. R$ 52,00.

1-IMG_3073

Carlos Serres Onomástica Reserva 2004.

3) Onomastica Reserva 2004: de tomar de joelhos! 80% Tempranillo, 10% Carignan (Mazuelo) e 10% Graciano, provém de vinhas de mais de 45 anos de idade e passa 24 meses em barricas novas. A madeira é bem presente, mas dá refinamento ao vinho e os aromas de frutas negras são deliciosos. Bastante acidez e taninos já suavizados pela idade do vinho. Eu tomaria todo dia com ou sem comida. R$ 157,00, importado pela La Pastina e à venda em empórios, supermercados e restaurantes.

E viva a Espanha!

Comentários

comments


Leave a Reply

2 thoughts on “Rioja imperdível: vinho branco leve ou tinto Crianza.