Retrospectiva 2014 – Dama Do Vinho


Foram muitos vídeos do Dama Do Vinho em 2015.

Foram muitos vídeos do Dama Do Vinho em 2015.

É gostoso chegar ao final do ano e fazer um balanço do que aconteceu no ano que passou, o que poderia ter saído melhor e o que saiu melhor que o esperado.

Em 2013, eu fiz um post elegendo o melhor vinho que eu tinha provado (relembre aqui). Este ano, resolvi pensar nas conquistas do site.

1) Podcasts

Lancei o primeiro Podcast dia 18 de março de 2014. O Podcast começou tímido, com qualidade de som bem média. Fechei o ano com 31 episódios, muitos elogios e quase 100 mil downloads.

2) Videocasts

O primeiro Videocast foi lançado em junho, falei sobre meu ebook Vinhos da Itália. Tive quase 4.000 visualizações nesse episódio inicial.

3) Livros

Lancei 3 livros em 2014: Vinhos da Itália, Wines of Italy e Vinhos da Austrália. Os três foram muito bem recebidos e Vinhos da Itália está na lista dos top 20 mais vendidos do iTunes e Amazon, desde maio deste ano.

4) Diploma

Comecei a fazer o nível 4 da WSET (Wine and Spirits Education Trust), chamado de Diploma, e avancei nas unidades. Como o curso é longo (2 a 3 anos), 2015 ainda será um ano de muito estudo.

5) Site

O blog virou site no início do ano, e com isso pude personalizar a página, inserir vídeos e outras informações. O trabalho deu resultado, o site foi reconhecido como o número 3 do Brasil, nessa categoria (relembre aqui).

6) Napa Valley

A visita a Napa foi inesquecível. Entrei na Opus One com o Michael Silacci, o winemaker da companhia, e até o laboratório eu visitei. Uma verdadeira aula de enologia e viticultura. Estive também na Schramsberg Vineyards e na Robert Mondavi. Voltaria amanha, se pudesse.

6) Bons vinhos também

Mas os vinhos foram bons também. Provei dois vinhos Margaux franceses, da região de Bordeaux chamaram minha atenção: o Pavillon Rouge do Chateau Margaux e o Malescot St. Exupery Margaux 2009. Um champagne de 1995, o Comtes de Champagne Taittinger, me encantou, além dos champagnes safrados Veuve Clicquot de 2002 e 2004. Provei também a Dom Perignon safra 2003 e 2004. Gostei mais da 2004.

Gostei também do Aalto e do Loa, dois tintos espanhóis, do Altair (Chile) e do Opus One, safras 2006 e 2010. A safra 2006, alias, estava excepcional. Mas há outros tantos, o Pinot Noir Cloudy Bay da Nova Zelândia, o Stags Leap Petite Syrah, os Supertoscanos italianos, como Tignanello e o Le Volte, os brancos italianos como o Gavi e os inúmeros Rieslings da Alsácia e alemães, como Trimbach, Dr. Zenzen, Schloss Vollrads, etc.

Foi um bom ano de vinhos de sobremesa, provei alguns Sauternes, outros Ice Wines alemães, um Tokaji da Hungria e alguns Late Harvest do Chile e Argentina. Nossa, eu entro no meu instagram para relembrar e vejo quanta coisa boa eu provei!

2014 foi um ano de trabalho duro, mas de muitos resultados positivos. 2015 vai ser ainda maior.

Desejo que você tenha um feliz ano novo, junto da família e dos amigos, e que tenha motivos diários para brindar à vida. Muita saúde e feliz 2015!

Ale Esteves

Comentários

comments

Leave a Reply