Os vinhos de Valpolicella


Já falei aqui no site sobre os Amarones de Valpolicella algumas vezes. Falei de seu método de produção (com uvas secas, passificadas), de seus sabores e aromas intensos e do quanto eu gosto desse vinho. Mas nunca falei dessa região, que fica no norte da Itália, no Vêneto.

O Vêneto, cuja capital é Veneza, é a maior região produtora de vinhos da Itália. Lá se produzem o espumante Prosecco na região de Conegliano e Valdobbiadene, o branco Soave, o tinto Bardolino e também os tintos de Valpolicella:

A linda uva Corvina em processo de secagem. Crédito: Consorzio Valpolicella.

A linda uva Corvina em processo de secagem.
Crédito: Consorzio Valpolicella.

1) Valpolicella (simples, Classico ou Valpantena):

Feito com as uvas Corvina, Corvinone, Rondinella e Molinara, é um vinho tinto que tem status DOC (Denominação de Origem Controlada) na Itália e que é feito em vários estilos. Os estilos mais suaves lembram um Beaujolais e tem sabores de cereja. Os vinhos mais sérios tem bastante corpo e vem de áreas mais altas nas colinas. A melhor região é a clássica, que vai do norte de Verona e se estende pelas colinas de Sant’Ambrogio. Valpantena também é uma sub região que produz bons vinhos tintos.

2) Amarone della Valpolicella:

Usa as mesmas uvas que o Valpolicella, mas seu processo de produção é diferente. As uvas, depois da colheita, são deixadas para secar até virarem uvas passas. Com isso, a água evapora e o açúcar e os sabores se concentram. O resultado final é um vinho seco, bem alcoólico, de 15 a 17% de volume, com aromas e sabores bem intensos, com notas de chocolate, geleia de frutas negras, uva passa, entre outros. É delicioso e muito marcante.

3) Recioto di Valpolicella:

Recioto é um vinho feito pelo mesmo processo do Amarone, com uvas secas, mas é um vinho doce. Tem status de DOCG (Denominação de Origem Controlada e Garantida) desde 2005, assim como o Amarone. Usa as mesmas uvas dos dois vinhos anteriores, sendo bastante interessante ver os diferentes estilos de vinho que podem ser produzidos nesta região.

4) Ripasso di Valpolicella:

Ripasso é um vinho feito a partir do contato entre um vinho Valpolicella básico e as borras do Amarone por cerca de 20 dias. É um vinho seco, mas com bastante estrutura e tem mais álcool e mais complexidade que um Valpolicella simples.

Produtores: os mais conhecidos são Allegrini Estates, Masi Agricola, Bertani, Tedeschi Wines, Zenato e Giuseppe Quintarelli, entre outros. Vários produtores oferecem visitas guiadas aos seus vinhedos e caves, com degustação de vinhos.

Passeios de bicicleta: O site do Consorzio Valpolicella dá dicas de passeios de bicicleta pela região e pelos seus vinhedos. Acesse no http://www.consorziovalpolicella.it/en/tours_en.php

Villa del Quar: um relais & chateaux ao norte de Verona.

Villa del Quar: um relais & chateaux ao norte de Verona.

Onde ficar? Dependendo do seu orçamento você pode escolher hotéis Relais & Chateaux perto da romântica Verona (a cidade de Romeu e Julieta) ou perto do Lago di Garda. O Villa del Quar, por exemplo, fica a 18 km de Verona ou a 120 km de Veneza, e além de estar em uma villa histórica, é rodeado por vinhedos. Tarifas começam em 320 euros.

Agriturismo Antica Dimora del Turco: hospedagem a partir de EURO 70, com piscina, nos arredores de Verona. Crédito: agriturismo.it

Agriturismo Antica Dimora del Turco: hospedagem a partir de 70 euros, com piscina, nos arredores de Verona.
Crédito: agriturismo.it

Se seu orçamento for mais apertado e você preferir ficar em fazendas de enoturismo, há excelentes opções com paisagens magníficas e bons preços. Acesse www.agriturismo.it

Boa quinta! Saluti!

Comentários

comments

Leave a Reply