Opus One 2010 e 2006: degustando na sala das barricas. 1


Provei o primeiro vinho ultra premium dos Estados Unidos e vou contar aqui sobre minha inesquecível visita à vinícola Opus One, na Califórnia.

Para quem não conhece, o vinho Opus One nasceu de uma joint venture entre duas grandes famílias do mundo do vinho. Robert Mondavi, descendente de italianos e pioneiro na produção de vinhos de qualidade da Califórnia e o Barão Philippe de Rothschild, da tradicional família de Bordeaux na França, do vinho Mouton Rotschild, uniram suas forças para em 1979 criar um vinho em conjunto. A idéia foi tão bem recebida, que a primeira caixa de vinhos vendeu por US$ 24,000.00 em um leilão em Napa Valley em 1981.

A imponente entrada da vinícola Opus One, em Napa Valley.

A imponente entrada da vinícola Opus One, em Napa Valley.

O vinho, que tem corte bordalês e utiliza uvas Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot, Petit Verdot e Malbec é de impacto, mas ao mesmo tempo de uma suavidade excepcional. Fosse somente isso, a visita já teria sido incrível. Mas quem me recebeu na Opus One para uma visita privada foi o enólogo Michael Silacci.

Michael Silacci é uma lenda na Califórnia. Estudou viticultura e enologia na Universidade da Califórnia e na Universidade de Bordeaux e trabalhou em vinícolas como Stag´s Leap. Está desde 2001 na Opus One e, posso afirmar que revolucionou a vinícola com grandes conceitos e ideais e, fazendo com que ano a ano, o vinho Opus One se tornasse ainda melhor.

Nos vinhedos de Cabernet Sauvignon da vinícola Opus One.

Nos vinhedos de Cabernet Sauvignon da vinícola Opus One.

Mr. Silacci me levou para conhecer os parreirais e, como eu tinha acabado de fazer prova de viticultura e vinificação da WSET, me mostrou as soluções que eles tinham para doenças nas vinhas. Ele é alguém que, apesar da fama, cuida das vinhas, dos seus funcionários e de todo o processo com muito cuidado. Visitei a sala de processamento das uvas, entrei no laboratório, fiquei extasiada com a grandeza da sala de maturação, e vi literalmente todo o processo para se fazer o Opus One.

Sala de maturaçao na Opus One.

Sala de maturação dos vinhos em barricas, na vinícola Opus One.

Nunca vi uma vinícola assim; o cuidado com a qualidade é extremo e a tecnologia é (muito) bem usada para que o vinho se torne ainda mais especial. A Opus One tem colheita manual, poda manual e faz o vinho da forma mais natural possível, utilizando inclusive leveduras nativas. Tudo é pensado em prol do bem estar dos funcionários, dos consumidores e da qualidade final do vinho. Realmente impressionante. Para mim, foi uma aula de viticultura com um dos melhores professores que alguém poderia ter.

Depois dessa incrível visita, ainda entramos na sala onde ficam as barricas de carvalho para amadurecimento do vinho. Lá provamos duas safras do Opus One: 2006 e 2010.

Degustando os vinhos na sala das barricas. Puro luxo!

Degustando os vinhos com vista para as barricas. Puro luxo!

Opus One 2006, apesar dos seus 8 anos de idade, tem a coloração púrpura bem intensa ainda (sem demonstrar sua idade) e aromas de frutas negras, cassis, chocolate e também especiarias, tostado e couro. Madeira e álcool estavam muito bem integrados. Um vinho de bastante estrutura com taninos finíssimos e acidez ainda bem marcante, dando dicas que ainda vai ter muitos anos pela frente. Um vinho de excelente qualidade, de muita concentração, complexidade e final longuíssimo.

Opus One 2010 é a safra atual, que permaneceu por 18 meses amadurecendo em barricas de carvalho francesas de primeiro uso. É um vinho de grande concentração de aromas que tem décadas pela frente. Aqui não há as especiarias que o 2006 apresenta. Os sabores são típicos de amoras, terra, madeira tostada, chocolate. Tem álcool e taninos altos, mas finos e macios. A acidez nos dois vinhos é impressionante, o que permite que o vinho envelheça bem por bastante tempo. Complexo, bem balanceado, delicioso, para se comprar e deixar na adega por alguns anos.

A Opus One não vende os vinhos diretamente ao consumidor, tem suas vendas pelo sistema bordalês, via négociant. Mas se você for até a vinícola pode comprar os vinhos da safra atual (máximo 3 garrafas por pessoa). Eu comprei 2 garrafas da safra 2010 e paguei US$ 235,00. São vinhos caros, mas são verdadeiras experiências.

No Brasil eu sei que a Casa do Porto importa, consulte lá as safras disponíveis e o valor.

No meu canal do Youtube (damadovinho), coloquei um vídeo com umas imagens da vinícola. Vale a pena ver! Saúde!

 

 

Comentários

comments


Leave a Reply

One thought on “Opus One 2010 e 2006: degustando na sala das barricas.