O eno-passageiro e as cartas de vinhos das cias. aéreas


Crédito da foto: http://travel.bart.la

Dom Perignon é servido na primeira classe da Emirates. Crédito da foto: http://travel.bart.la

Você escolhe seu restaurante pela carta de vinhos? E sua companhia aérea, também?

Há algum tempo as companhias aéreas tem investido em melhorar suas cartas de vinhos, trazendo novidades e opções de compra para a classe econômica, mas principalmente para as classes executiva e primeira. Essa é uma nova tendência para um certo tipo de passageiro, que não se importa somente com o conforto das poltronas ou o preço da passagem, mas também com o vinho que será servido durante o voo. Conheça o eno passageiro.

Pensando nestes passageiros, a Emirates, por exemplo, anunciou no final de 2014 um investimento de mais de 500 milhões de dólares para seu programa de vinhos. Para os voos Guarulhos/SP – Dubai, a empresa serve rótulos como Dom Perignon 2005 e Aile d’Argent, Château Mouton Rothschild 2010, na primeira classe, e Veuve Clicquot Yellow Label e Château d’Angludet 2007 Margaux, para a classe executiva. Em voos saindo de outras partes do mundo, há opções como o Supertoscano Solaia, Château Lafite e Château Margaux.

A British Airways também é conhecida pela sua adega e venceu em diversas categorias no Business Traveller Cellars in the Sky, um concurso que elege anualmente as melhores adegas a bordo na primeira classe e executiva de companhias aéreas de todo o mundo.  A British ganhou como melhor vinho de sobremesa para primeira classe com o rótulo Mullineux Straw Wine 2013, da África do Sul.

A Qantas, linha aérea australiana, foi premiada com a melhor carta de vinhos pelo World of Fine Wine em 2014, servindo o Taittinger Comtes de Champagne na primeira classe, cuja garrafa pode chegar a quase 500 dólares no varejo.

1-IMG_3291-001Em 2013, a bordo de um voo da American Airlines São Paulo – Miami, eu participei de uma degustação de 5 vinhos, (relembre aqui), e sinceramente gostei bastante da experiência. Era algo oferecido aos passageiros da primeira classe, muito bem pensado, que ajudou o voo a passar mais rápido e de forma mais prazerosa.

A partir daí, passei a prestar atenção nas cartas de vinhos das companhias aéreas, mesmo na classe econômica, onde muitas empresas americanas vendem vinhos (7 a 15 dólares, na American Airlines ou United Airlines, dependendo da escolha).

Tão interessante essa mudança de conceitos, que surgiu uma companhia aérea boutique, a La Compagnie, que faz apenas voos entre Nova Iorque e Paris/Londres, e todos os assentos são business class. Eles servem champagne Piper-Heisieck Cuvée Brut e os demais vinhos para harmonizar com pratos franceses.

Fora isso, há os lounges dos aeroportos ao redor do mundo, com uma boa opção de vinhos. Em Frankfurt, no Lounge da Lufthansa, é possível provar o champagne Piper-Heidsieck Brut e o salão da Qatar Airways em Doha servem o exclusivo champagne Krug. Nada mal ficar algumas horas por ali.

No Brasil, a Azul fechou uma parceria com a Wine.com.br em 2014 para oferecer vinhos especiais em seus voos internacionais. Na classe Business Light, há opções como o Champagne Jacquart Brut Rosé e o vinho tinto argentino Clos de Los Siete. Para a sobremesa, o francês Grande Renaissance Sauternes AOC 2012 ou o Vinho do Porto Ferreira Ruby.

Essas mudanças fazem com que o prazer de viajar seja ainda maior e que o passageiro possa escolher sua companhia aérea com base em sua adega também. Um voo longo de 12 ou 15 horas, pode já não ser tão estressante, se a gastronomia, a bebida e o serviço forem agradáveis.

Um brinde e boa semana!

Ale Esteves

Comentários

comments

Leave a Reply