M E R L O T (Merlô)


Chateau Petrus: no Pomerol, o auge da uva Merlot.

Château Petrus: no Pomerol, o auge da uva Merlot.

Há algumas semanas um amigo de infância me escreveu e pediu que eu falasse sobre a uva Merlot. Há quem adore essa uva, que é muito popular, fácil de agradar e bem fácil de tomar.

Merlot é uma uva típica da região de Bordeaux na França, principalmente em Saint-Émillion e Pomerol. Há também Merlot plantado na Itália (lembra do Masseto, do Podcast dos Supertoscanos?), Merlot plantado na Austrália, Califórnia, Chile, Argentina e até na Suíça na região de Ticino. Planta-se também muito Merlot no Brasil e chegou-se a afirmar que essa poderia ser a uva ícone do nosso país.

Merlot é uma uva fácil de cultivar, que vai bem nos solos molhados e de argila do Pomerol e que dá vinhos de altíssima qualidade. Seus aromas são aqueles de fruta vermelha (framboesa, ameixa), tem médio corpo, acidez mediana e taninos bem macios. Em regiões quentes, o vinho feito com Merlot pode ter aromas de frutas negras, muito corpo e muito álcool, mas sempre com taninos macios.

Esse tanino macio é a principal razão da uva Merlot agradar tanto ao consumidor e o motivo pelo qual a Merlot é usada em Bordeaux em blends de Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc. Merlot traz taninos macios ao vinho, que seriam demasiado adstringentes apenas com Cabernet Sauvignon.

Os vinhos mais famosos do mundo feitos com a uva Merlot são:

1) Château Petrus: um vinho quase mítico, feito com Merlot e pequenas porcentagens de Cabernet Franc, dependendo do ano. Apareceu em diversos filmes, desde Hercule Poirot de Agatha Christie até Sideways (veja abaixo). Preço aproximado: US$ 3.000,00*. Se for beber um, me chame!

2) Château Ausone: um St. Émilion Grand Cru, que usa Merlot e Cabernet Franc em sua composição e que tem preço de venda nos Estados Unidos de cerca de US$800,00.

3) Château Pavie: também da região de St. Émilion, é um vinho que rendeu fervoroso debate quando os proprietários contrataram o enólogo Michel Rolland e este começou a fazer vinhos estilo “Robert Parker”, com muita fruta madura e muito aroma de madeira. O vinho foi abertamente criticado por Jancis Robinson (Master of Wine e escritora inglesa) que deu baixa pontuação à safra 2003, e levou à uma guerra com Robert Parker, acusando-a de mentirosa**.

4) Château La Fleur: feito com 50% Merlot e 50% Cabernet Franc, esse vinho da região de Saint-Émilion, custa cerca de US$ 900,00.

5) Château Le Pin: tem esse nome em razão de existir um pinheiro solitário na propriedade e faz excelentes vinhos 100% Merlot na região de Pomerol. Tem alto preço, custando cerca de US$ 2.600,00 a garrafa.

6) Château Cheval Blanc: também em St. Émilion, um vinho bem famoso composto de Merlot e Cabernet Franc. Preços a partir de US$ 1.000,00.

 

Ao lado do Chateau histórico, o novo anexo do Chateau Cheval Blanc, desenhado por Christian de Portzamparc. Crédito da foto: Studio Erick-Saillet

Ao lado do Château histórico, o novo anexo do Château Cheval Blanc, desenhado por Christian de Portzamparc.
Crédito da foto: Studio Erick-Saillet

E fora de Bordeaux:

1) Masseto: um Supertoscano da região de Bolgheri, feito com 100% Merlot, pelos mesmos produtores do Ornellaia. Custa cerca de US$ 750,00 a garrafa.

 

Merlot também era muito popular nos Estados Unidos, até que no filme “Sideways” o protagonista declara que Pinot Noir é superior à Merlot. Conta-se que muitos viticultores mudaram suas plantações em razão disso. Eu falei sobre isso em um post sobre o filme, relembre aqui e veja a cena em que Paul Giamatti fala que não vai beber a “droga” do Merlot.

Há belos exemplos de Merlot em Napa, Paso Robles e também no estado de Washington nos Estados Unidos. É só provar! Saúde!

* Preços com base no site www.wine-searcher.com

** Para ler o artigo sobre o Chateau Pavie: http://www.jancisrobinson.com/articles/winenews0422

Comentários

comments

Leave a Reply