Decima X Rosé Brut em taças Riedel Pinot Noir: muda algo?


Fresco e aromático: Décima Rosé Brut

Fresco e aromático: Décima Rosé Brut

A última vez que estive na Casa da Travessa em São Paulo, fizemos uma experiência interessante: beber espumante rosé em taça de vinho Riedel Pinot Noir. A Daniella Romano, especialista em aromas do vinho, escolheu o espumante, um brasileiríssimo Décima X Rosé Brut e fizemos a experiência.

A Riedel é uma empresa austríaca familiar, entre os maiores fabricantes de taças de vinhos do mundo. Georg Riedel, pertencente à décima geração da família, resolveu criar taças específicas para uvas específicas. Assim, desenvolveu taças especiais para vinhos Cabernet Sauvignon, Pinot Noir, Champagne, Chianti, Porto Vintage e muitos outros. Os desenhos das taças surgiram de uma análise, que verificou que quando havia variação do desenho da taça, havia também variação no aroma dos vinhos.

É claro que vinho pode ser bebido em qualquer tipo de taça, desde que limpa (para não afetar aromas e sabores) e transparente (para análise da cor), mas fazer a experiência de degustar um espumante em taças diferentes foi bem interessante.

Espumante Décima Rosé Brut na taça Riedel Pinot Noir.

Espumante Décima Rosé Brut na taça Riedel Pinot Noir.

Como o espumante rosé tem uvas Pinot Noir em sua composição, Daniella sugeriu que eu provasse o espumante na taça Riedel Pinot Noir para maximizar a experiência. Esta taça é bem bojuda embaixo, mas é mais fechada em cima, concentrando os aromas no nariz.

Eu nunca havia provado o Décima Rosé Brut e gostei bastante da experiência. Esse espumante é feito pelo método Charmat, sendo a segunda fermentação (que dá bolhas) feita em tanques. Tem composição de 70% Riesling Itálico e 30% Pinot Noir.

Na taça o espumante tinha coloração salmão claro e bolhas bem finas. No nariz, super aromático: aromas de frutas cítricas (limão), frutas vermelhas frescas, como morango e framboesa e aromas florais. Na boca, uma acidez refrescante, que convida a uma próxima taça. Este espumante está à venda por cerca de R$ 50 e eu achei excelente custo benefício. Claro que não tem a complexidade de um espumante feito pelo método tradicional (a Décima também faz espumantes assim, eu ainda não provei), mas é bem feito e tem boa qualidade.

E a taça? Eu realmente acho que a taça fez diferença. Claro que o espumante tinha bons aromas, mas a taça Riedel potencializou os aromas, fazendo com que o espumante se tornasse ainda mais aromático. Eu fiquei com vontade de comprar as taças (na verdade toda a coleção da Riedel), mas haja espaço e verba para isso.

Valeu a experiência e valeu o espumante. Obrigada Daniella pelo convite.

Boa quarta!

Ale Esteves

Comentários

comments

Leave a Reply