Bordeaux En Primeur 2015: entusiasmo e expectativa


bordeaux

Crédito da imagem: www.vogel-vins.ch

Viajo amanha para Bordeaux, na França, onde vou acompanhar de perto a campanha Primeurs 2015, que mostrará a jornalistas e formadores de opinião do mundo inteiro os vinhos da safra 2015.

A euforia é grande em Bordeaux, depois de safras inexpressivas dos últimos anos, e 2015 veio para fazer jus às grandes safras que terminam em 5: 2005, 1995, 1985, 1975, 1955 e 1945 (1975 na realidade foi razoável e 1965 foi um desastre, com publicações dando míseros 50 pontos para essa safra). Mas houve boas safras neste século também que não terminam com o número 5, como os anos de 2000, 2009 e 2010.

Mas antes de discutir qualidade da safra, queria contar o que é o En Primeur ou Primeurs e qual sua importância.

Primeur é um termo em francês que significa vender o vinho em futuros, ou seja, antes de ele ser engarrafado. Para isso, faziam-se provas do vinho na primavera seguinte à colheita, enquanto o vinho ainda estava no barril, longe de ser engarrafado. Corretores de vinho e a mídia provavam estes vinhos, discutiam sobre a qualidade da safra, e com base nisso, os produtores decidiam o preço de venda e quanto iriam vender, em um primeiro momento.

Algo como comprar um apartamento em construção, onde você vê o esqueleto do prédio. Como o apartamento não está pronto, você paga mais barato por isso, mas ao mesmo tempo ainda vai demorar para recebe-lo e tem o risco do negócio.

En Primeur em Bordeaux fez enormes campanhas de sucesso durante os anos 1970-1990 e até muito recentemente, em razão da grande atividade econômica mundial, da expansão no consumo de vinho no mundo, da melhora da renda em diversos países (leia-se China) e da raridade e qualidade do produto. O sistema, também, sempre beneficiou o produtor, que poderia receber algum dinheiro adiantado, e o consumidor, que tinha a chance de pagar o vinho mais barato do que quando chegasse ao mercado.

Contudo, nos últimos anos, discutiu-se a importância deste sistema. Alguns Chateaux decidiram sair do sistema, como o famoso Château Latour, que saiu da campanha Primeurs e decidiu vender seus vinhos quando estivessem prontos. Também, os preços dos grandes vinhos bordaleses só subiram nos últimos anos, ainda que houvessem safras insatisfatórias, o que irritou negociantes e compradores, e afastou consumidores, principalmente os americanos. Alie-se a isso o fato dos chineses terem diminuído o consumo de vinhos caros, em razão da mudança na política de brindes do governo chinês.

Com tudo isso, muitos conceberam o fim da campanha Primeurs em Bordeaux. Robert Parker, por exemplo, deu uma entrevista no final de 2015, dizendo que “Bordeaux Primeurs estava morta”.

Mas a excitação voltou para a campanha Primeurs 2015. Com uma safra histórica e o entusiasmo de todo o setor, o evento promete ser “O” evento do mundo de vinhos em 2016. E eu estarei lá para ver e contar.

Para seguir meus passos por Bordeaux, me siga nas redes sociais no @aleesteves7

Ótimo fim-de-semana, com muitos brindes! Santé!

Ale Esteves

Comentários

comments

Leave a Reply